segunda-feira, 24 de abril de 2017


Que não nos falte o verso para o poema e o amor de cada dia!


Lecia Freita
s





A menina viveu a vida toda sem ter amanhecido
e agora tem medo
de virar bem te vi
é que o trinado de repente ficou tão alegre.

Lécia Freitas





quando a tarde fica triste demais é melhor pegar
um joão de barro (esse tem canto alegre) e buscar logo a manhã

é que o sol não sabe de tristeza
e não adianta o tempo...

Lécia Freitas



No meio de tudo, agora, você é minha vontade de amor!

Lécia Freitas


Toda a sabedoria de hoje só serve para me ensinar que não sei dos planos da terra sobre o verde dos tempos
que a velocidade dos insetos não se mede com o vento
que as borboletas voam em circulos porque se enbebedam de cores
e que os sonhos não terminam nunca
apenas se reclinam, cansados, em cadeiras invisíveis
em salas de espera de cor azul
dentro de nós.

Lécia Freitas



De tudo que esperei de um amor
além do carinho
em noites que devem se acabar 
apenas para que outra venha
e que tudo recomece;
de tudo que esperei do amor 
além do batuque do meu coração
e das veias pulsando 
trazendo mais vida;
de tudo que esperei do amor
além dessa felicidade que eu nem sabia
que podia ser tão grande
que até dá medo,
além de tudo
eu espero do meu amor
que me ajude a olhar
o mundo
e ver mais poesia
além do que já me cabe.

Lécia Freitas




Mas é bom saber que depois da chuva, as árvores, todas as árvores, tavez tenham cheiro de magnólias, e as pedras servirão de espelhos às fadinhas e aos gênios bons da floresta. Bom saber que esses riozinhos da água que escorrem, trarão de volta os lambaris de escamas coloridas e reluzentes.

Lécia Freitas




Devo lhe dizer que após essa chuva insistente em alagar o parquinho das joaninhas eu vou recolher os cristais nas pontas das folhas e as pétalas afogadas para enfeitar seu caminho. Porque eu lhe espero com suas mãos de mago, para colocar em ordem a natureza, o estado das coisas, e o meu coração.

Lécia Freitas




Prefiro o ridículo de fazer poesias que ninguém lê 
do que represá-las em mim
e calar a formiga que voa no dente de leão 
depois do bailado do vento.

Lécia Freitas



Sorriso bonito é aquele que começa meio escondido no canto, meio torto, mas depois toma conta da gente, vira risada , ilumina os olhos, e até a alma ri junto!

Lecia Freitas



É preciso, às vezes, parar diante da flor e meditar o seu mistério, o seu perfume. Do quanto é perene na sua efemeridade pois que fica na memória. Tudo que alcança a memória fica eterno.

Lecia Freitas



Sobre a mutabilidade das verdades, podemos dizer que é o homem que muda todas as coisas. Todas as verdades, as estabelecidades e aquelas que ainda virão. Para essas ele ainda prepara tanto a semeadura quanto o celeiro.

Lecia Freitas






Nada é eterno! Devemos saber disso. No entanto, o paradoxo no diz que o que fica na memória é para sempre. E precisamos acreditar, para sermos sanos.


Lecia Freitas






domingo, 23 de abril de 2017

O perfume de jasmim que eu senti no meu amor, e deixei em todas as minhas coisas para que ele não se fosse de todo, hoje se espalha nessa tristeza, tão triste, que vem como uma companheira, que chega para ficar; que dependura a sombrinha, o chapéu, certa de que não vai embora nunca mais.

Lécia Freitas




O amor, o bom amor, aquele pelo qual você vai agradecer por sentir todos os dias de sua vida, demanda respeito e, principalmente, sinceridade. É preciso ser verdadeiro. Não pense que o outro não percebe a mentira, a mais leve. Recuse de imediato um amor assim. Não existe isso de sinceridade após, de desculpas esfarrapadas. Não há nada que dê jeito em afetos pré-falidos.

Lécia Freitas


sábado, 22 de abril de 2017

O AMOR...


houve uma semente
bojuda, de formas perfeitas
deitou raizes e floriu
como era doce o seu sorrir
como olhava o mundo
enquanto lustrava o verde de suas folhas
as borboletas brincavam de cores
em sua vida
e o mundo se pintava de lavanda e jasmim.
Mas houve também a guerra
e a insensatez humana
com os estilhaços
a flor morria
a cada vez que não podia mais sorrir
não, não é verdade
não morre maria
não morre damastor

 o amor nunca morre.

Lécia Freitas
A liberdade deve emergir como um bem inato aos homens.

O poeta nos diz que o pior sofrimento é não ter um amor para sentir saudade. Eu não sou poeta e digo respeitosamente que me venha a morte, mas  nunca mais uma dor como aquela.


Que não nos falte o verso para o poema e o amor de cada dia!

Lecia Freitas


quarta-feira, 19 de abril de 2017


DELICIOSO AMOR

Eu te aceito, homem, como o meu amor hoje e para todo sempre
eu que já tinha desistido de amar e me via às voltas com bordados e costuras,
eu que sabia do  amor apenas em velhos filmes com lagoas coloridas
procuro em livros e no tempo maneiras lindas de dizer
que te amo
enquanto deito no seu peito e escuto seu coração.

Eu te aceito com suas manias e com seu time preferido
e te observo humano no lugar que me colocaste
não  deusa ou diva  mas tão comum como sempre fui,
percebo o cuidado e me dou conta do prazo que nos resta para tanto amor
e me esmero.

Eu te aceito. Aceito seu coração, e tudo que tem dentro
e prometo que vou me esforçar até pelo que não gosto em nós
porque não quero sentir saudade, porque suas mãos são poderosas
e o beijo, sempre o primeiro, fica imprimido como uma viagem sem fim
eu te gosto como me gosta quando me desnuda e me desdobra para gostar mais ainda dentro do eterno

Eu te gosto porque te encontrei em minha memória
porque te reconheci em meus guardados, porque em você me sinto muito mais do que sou realmente, porque me cristaliza em sua vida e vê o meu batom
eu te gosto, exatamente como gosto dos passarinhos e dos insetos, e das coisas todas, que me fazem ver o quanto te gosto e o quanto ainda vou me desmanchar em dobras de lençol  antes do sabão cheiroso e gotas dágua, e pra toda vida da forma mais natural porque somos e seremos
Eu te amo, homem, enquanto aquece meu coração.

Lécia Freitas






terça-feira, 18 de abril de 2017


A paixão é sempre escarlate, nervosa , espalhafatosa. Ri seu riso de fome e está sempre presente nos mesmos sons que atravessam paredes.

Lécia Freitas



A essa hora da madrugada meu pensamento ia com ele. E eu penso: eu gostava dele. E se eu pudesse nessa hora com ele eu beijava e abraçava, ah eu abraçava ele, tudo que eu queria nesta vida. Ele era minha vontade de amor. Das vezes que ele me disse que me amava, eu me lembro que meu coração ficava como broto verde de mato.

Lécia Freitas



E eu te amei! Eu te amei como uma lufada de vento fresco numa noite quente de verão. Eu te amei como uma criança ama o brinquedo novo no dia dos anos. Como a primavera ama a semente. Como a chuva ama o rio por ser seu leito de vida e morte. Eu te amei. Mas minha estação não era chegada. Nem eram para mim as flores, a música, esse remanso.

Lécia Freitas




Ninguém me contou : eu vi! Domingo passado no momento em que caía uma chuva torrencial em Pará de Minas, um jovem que estava em uma sorveteria ali na Praça Torquato de Almeida enfrentou todo o aguaceiro, deu a volta no carro e abriu a porta para sua amada. Não se importou com a chuva, com a enxurrada, surpreendendo a todos que estavam ali. Foi gentil, foi cavalheiro. Não sei se foi por amor, mas prefiro acreditar que sim. Que o amor se manifestou ali. Ninguém me contou, eu vi.

Lécia Freitas


Mate minha fome.
Mate minha sede
Ate-me!
Ate seu corpo em meu corpo!
Com um nó bem dado!
Como um cipó que ninguém consegue desatar!

Lécia Freitas



E quando do nada você aparece assim, o meu coração sorri e o mundo se enche de graça. Meu Deus, o que faço com a imensidão deste amor? Como dizer a todo o resto que só voce importa?

Lécia Freitas



Existem almas que só se encontram ante a si mesmas. Por maior que seja a oferta de ajuda, precisam ficar sós, mudas. Existem almas que por sua delicadeza recebem os golpes muito mais profundamente; ferem-se diante da crueza dos fatos de tal forma que é preciso um ato de cada vez a lhe juntar os pedaços, minuciosamente, uma parte de cada vez, para que não se lhes faltem nada. 
Lécia Freitas



EXPLÍCITA







A poesia me deixa prenhe de vida. E tudo, tudo que gesto leva seu nome!

Lécia Freitas




MINHA CANÇÃO DE AMOR



Àquele por quem sou e que possuindo não me quis

Amar você
como se de você
fossse feito o mundo
Descobrir no suor
e gemidos
os segredos do ser
e ser.
Amar você
como se a vida
a  findar
no agitar convulsivo
de corpos
num prazer (ou emoção)
que plena
o vazio dos dias,
da espera.

Amar, tanto tanto!
então atados
em equilíbrio perfeito
fruir
como um bálsamo
sua essência
na conformação de um todo
a perpetuar
seu gosto
em mim.

Meu Deus, como eu te quero!...

Lécia Freitas



O momento mais tenso é quando você se depara consigo mesmo e percebe que todas as verdades nas quais acreditava não são verdadeiras. Que as emoções que sentiu não foram assim tão fortes e significativas. Que os amores não eram amores porque não existem mais. E que a felicidade que achou que tinha não é feliz. Você descobre que as pessoas que julgava importantes não estão nem aí para você e que teria sido melhor nem tê-las conhecido.Que para elas você tanto faz, mas que infelizmente fazem parte de sua história
Sua história! Mas se você nem viveu?! Então... então você se dá conta de que é apenas um arremedo, um espectro! E não há mais tempo, não há mais tempo.

Lécia Freitas





O que eu mais gostava era de ouvir seus olhos. E sentir a vida escorrendo por eles. Conseguia imaginar um dia , longe, longe, beijar de meigo esses mesmos olhos. Não percebia o rastro de sangue, dos meus cacos, que ficariam. Depois de tanta dor. Era o meu amor, tão doce, tão querido e tão sem recurso...

Lécia Freitas





segunda-feira, 17 de abril de 2017

O espírito aquieta-se, embora a alma dance em todas as cores. Os grilos entoam sua presença na canção da noite enquanto a lua sorri seu brilho de amante enamorada. E eu, eu estou feliz pois que tenho um amor para amar!

Lécia Freitas