segunda-feira, 31 de julho de 2017

 Se encontrar uma mulher vestida espalhafatosamente não ria: você não sabe que sonho ela deseja encantar. Você não sabe aonde ficou a alegria escondida. Porque para algumas pessoas a vida só acontece no fim, fora do tempo e do lugar.

Lécia Freitas



E a poesia que escondi, que neguei, sempre aflorava por motivos os mais absurdos, os mais despropositados possíveis. Surgia, tomava conta, falava de um mundo que eu conhecia muito bem, que existia atrás da minha retina, dentro da mente, em volta da minha alma.

Lécia Freitas

O tempo


Esse vento que levanta o pó e que tira as coisas do lugar, lá no quintal, também empurra o tempo. Eu vejo na minha pele que se craquela cada vez mais. Eu sinto nas frestas de luz em minha sala, e que movimentam as sombras dos meus fantasmas.
Os meus fantasmas! Meus companheiros, porque nunca me abandonaram. Como esse cão que se emborca temendo um pontapé que nunca darei. Direis da minha triste solidão. É verdade, nunca estive tão só como agora. Apesar dos fantasmas que me gritam em silêncio do que eu não tive. Do que não fui capaz de obter! Nunca estive tão só. Porque busco renegar a própria solidão. Não mais faço dela uma presença. Antes, era concreta, era palpável, mostrava uma dor que eu não queria, não aceitava. Saía do meu poço e enfrentava todos os meus moinhos. Mas o tempo, ah o tempo, corroeu tudo e não existe mais nada. Não há solidão. Solidão é a ausência de alguém que nunca veio. Então espera-se. Não há mais espera. Não há mais nada.
Lécia Freitas





Não se consegue a paz sem antes passar pela tormenta que nos consome.
Não se consegue a exaltação sem ter sido permanentemente subjugado num estado absoluto de humilhação.
Não há sobrevivência sem antes o aniquilamento.

Lécia Freitas

                                                                                                        Foto de Al Mazid

Segundo Pessoa, o fado nos dispõe. É preciso, no entanto, pegar as pedras e fazer novos canteiros à nossa vontade. A queda deve ser sempre um novo passo da dança.

Lécia Freitas


Com o tempo
a lágrima seca
a saudade se esvai
a dor não dói
tudo cicatriza

o tempo
tic tac, tic tac
sedimenta.
com o tempo
recomeço.

o tempo é cíclico.

Lécia Freitas



É preciso conspiração para as coisas acontecerem. Mas querer que deem certo não significa que vão acontecer sozinhas. É preciso agir para que aconteçam.

Lécia Freitas



O tempo não adianta nem acelera. Mas têm sido tão intensos que não nos dá oportunidade de viver os acontecimentos em toda sua extensão. E assim a vida nos atropela. E quando a gente menos espera, foi-se. Contudo, é preciso que encontremos um tempo para o que nos é caro. É preciso observar as prioridades.

Lécia Freitas





Os poetas se perguntam como pode um coração se confranger diante de um amor porque acreditam que apenas a sua existência já é motivo de tanta felicidade. No entanto, não basta a sua existência. É preciso que ele seja reconhecido. É preciso o olhar do outro, para imprimir-lhe a legitimidade, senão será motivo de muito sofrimento, de consumação. 

Lécia Freitas


Foto de Al Mazid







Dia após dia eu escuto o barulho dos aviões. Às vezes, quando estão muito baixo, dão medo. Mas quando passam assim como passeando, dão-me nostalgia. De lugares que não vou conhecer. A vida está se acabando para mim e não vai dar tempo. Mas devo reconhecer que só pela nostalgia esses lugares ja existem em mim. Eu os visito sempre em meus sonhos. Sinto-lhes a essência, as cores, os sons. Os lugares existem independemente de minha estada lá. Saber disso me reconforta, dá uma certeza de vida. De que nem tudo vai se acabar. Pelo menos não por agora.

Lécia Freitas





O tempo está muito apressado. Tenta acompanhar a asa do passarinho que faz acrobacias encantando o seu amor. Estão construindo o ninho! O amor é tanto que não esperaram pela primavera! É verdade!
Lécia Freitas




O caro perfume francês me impede de sentir o cheiro do outro. E muitas outras coisas. A percepção das coisas da vida é uma graça. Sejamos humildemente gratos, pois. E compassivos com os cegos de coração. Roguemos aos céus muito mais por esses.

Lécia Freitas





Precisamos do outro. Estamos sempre precisando do outro. Podemos viver sozinhos, mas estaremos sempre incompletos. Quando optamos por viver sozinhos frequentemente beiramos à instabilidade emocional. Porque somos gregários. Facilmente comprovável, embora não admitamos. Isso também corrobora nossa empáfia. São verdades. E negamos o outro por ignorância, por desconhecer sua importância em nós e da sua capacidade em nos acrescentar. E, principalmente, por soberba. Porque acreditamos que somos autossuficientes. Que somos melhores. É verdade que muitas vezes detemos coisas e sentimentos além do que o outro. Nesse caso, é porque, de alguma forma, fomos privilegiados. A própria capacidade de correr atrás de sonhos e realizações é uma dádiva. E se a vida nos dá a mais é porque fomos designados a repartir, a compartilhar. Por um momento, muito breve, somos detentores, nunca possuidores. É preciso abrir os olhos, as mãos, e a alma.

Lécia Freitas






Quando uma criança lhe oferecer uma xícara vazia e disser que há café, por favor, sente-se e tome o café! Crianças nos ensinam, muito mais que Platão sobre as verdades da vida. Elas nos ensinam que o sonho é possível e que a realidade pode ser mágica.

Lécia Freitas




quarta-feira, 19 de julho de 2017

Eu vejo as coisas bonitas do mundo, as simples, as mais simples, e as mais portentosas, percebo tudo que há no mundo, é fato. E eu queria alguém do meu lado que percebesse junto comigo, que partilhasse todas as maravilhas. Alguém que segurasse firme a minha mão, seja diante de uma obra arquitetônica citada em livros importantes, seja ao atravessar aquela pinguela de um tronco só, disposta ali em cima do riachinho de águas cristalinas e geladas. Alguém que prendesse a respiração junto comigo por uma emoção maior e que depois me olhasse para saber se está tudo bem.

Lécia Freitas



Amor de verdade suporta e entende limitações e tudo mais. Amor é se perceber muito mais no outro do que em si próprio, porque o outro se lhe acrescenta e lhe confere um sentido maior de significância e de permanência. Seja dentro do outro, seja no próprio mundo, na vida. Isso, para mim, está muito além de sensibilidade e romantismo. Isso é o concreto, o real, a vida.

Lécia Freitas






A cada dia somos destroçados pelo outro. Arrancam pedaços, destroem sonhos, eliminam possibilidades. E os restos vão ficando pelo caminho. Nem sempre há como voltar e remendar as coisas. As cicatrizes repuxam e doem detendo o riso, até o da alma. O mundo gira , a vida segue, e as pessoas nem percebem o quanto matou de alguém. Não se morre apenas em um dia determinado quando tudo para. Vão nos tirando os pedaços, quando se vê a gente está morto em vida. E os outros seguem felizes, sorrindo, felizes, indiferentes. Deveria, mas não há lei contra isso.

Lecia Freitas




O VOO

O amor é alado! Possui asas, todos temos asas. E devemos voar, ainda que no imaginário. Porque é voando que crescemos. E esse voo deve ser solitário. Não existe voo a dois nesse caso: o voo da vida. Não confunda segurança com amor. É preciso acreditar que o amor é permanência mesmo estando longe. Se o amor voa em qualquer direção e não volta, é porque encontrou um ninho que mais se ajusta à suas penas. Todavia, quando ele voa e volta, ele é o seu amor. Afague-o e seja grato. Eis que tendes um amor, cuide dele!

Lecia Freitas









SER VERDADEIRO

Reinventar-se a cada dia é fundamental para nós mesmos. Em qualquer relacionamento, contudo, o que importa é ser verdadeiro. Se você usa artimanhas, se camufla sentimentos ou verdades, se escolhe atitudes e palavras, então não é amor. Não prenda o outro numa teia que é só sua.

Lécia Freitas




ILUSÕES

Não se iluda: a cada chegada há sempre uma despedida. O que existem mesmo são sempre despedidas. Cabe a cada um fazer do passo, a dança; da dor, o riso; do instante, a eternidade.

Lécia Freitas



Para muitos o amor pode vir numa flor, num beijo, ou num cuidado. O amor pode estar em qualquer forma. O que a gente tem que saber, no entanto, é que o amor são dois num mundo.

Lécia Freitas



DESARMAR-SE

Penso que para o amor é preciso, antes de tudo, esvaziar a funda, desarmar-se . Mostrar-se por inteiro sem preocupações com seus créditos e vantagens. O próprio amor vai revelar suas verdades. A vida é matéria fina e a alma percebe todas as sutilezas.

Lécia Freitas



Amor é quando a gente veste a alma do lado de fora.





SÓ PARA MIM

Meu amor só para mim. Tudo que eu queria. Com o meu pensamento eu abraço o corpo dele, - não é de verdade - mas eu sinto até os ossos, cada parte. O seu cheiro chega até meu coração. Isso me dá um prazer, me transforma, mas é doído de dar dó. Nessa hora, que penso nele, se morrer, não me importava.

Lécia Freitas



ACASO

Todas as pessoas em minha vida eu conheci por um ocioso acaso. Apenas uma eu conheci porque precisei. E ela poderia ser o meu amor da minha vida inteira. 

Lécia Freitas



Mas amor, o amor deve ser assim, como quem não quer nada. Como se você criasse galinhas sem pensar em comê-las, só pelo prazer de ouvi-las cacarejar nas madrugadas. Em plantar flores sem pensar em colocá-las em jarros, só para sentir-lhes o cheiro, nas tarde mornas de verão, quando o perfume mais exala. Como desejar chuva sem ouvir a semente brotando, apenas o barulho dela caindo e apagando a poeira do caminho. Em admirar estrelas sem imaginar-lhes o canto de que fala o poeta. Ame inutilmente, como quem afaga um presente no peito.

Lécia Freitas



E quando é preciso, eu rompo qualquer tempo e faço a vida renascer em mim. Recuso-me a afundar. Eu me impus ser feliz sempre. Hei de recomeçar quantas vezes for.

Lécia Freitas




TARDE SUAVE TARDE

Agora que o frio deu uma trégua nessas terras mineiras, é permitido sentir o doce aroma de banana caramelizada enquanto, no telhado do vizinho, o gato esquenta o sol, fingindo que dorme. Na verdade, ele espia os pulinhos do incauto pardal. Azul e dourado na tarde suave tarde.

Lécia Freitas





Todas nossas expectativas, residem naturalmente no futuro. Comumente, chamamos de sonho. Precisamos sonhar para permanecermos vivos. Alguns sonhos são tão queridos que o acalentamos imaginando, ainda que inconcientes, que seu fim resulta no nosso. E nem lutamos para que se realize porque precisamos dele. Isso beira ao patológico. É preciso viver, também, a morte de nossos sonhos, se não fomos capazes de torná-lo realidade. Talvez não dependesse só de nós. Todavia, a capacidade de criar novos sonhos é inerente ao ser humano. Sonhemos, pois, que a vida é breve!

Lécia Freitas





DESEJAR PROFUNDO

Durante o tempo que estive aqui, vivi muitas vidas. É certo que nem sempre foi bom, mas sobrevivi. E agora eu olho para trás e pra frente e penso que das emoções, muitas foram mornas, exangues. Algumas, entranto, foram tão intensas que desejei profundo senti--las sempre. E dos amores que tive, alguns se perderam ao longo, posto, eram menores. Contudo, algum me levou ora ao céu, ora ao inferno. Numa gradação de sentimentos que, por muito, achei, permaneceria aqui, talvez até que se extinguisse. Era necessário que se cumprisse o fim, ou o êxtase. Mas a vida não é democrática. O tempo, talvez. Mas a vida não, e ela não espera. A vida é injusta, cruel, desumana. E tira o melhor que temos no meio do ato. Não permite a felicidade até o fim. Não nos autoriza raspar o prato, lamber os dedos. Toma-nos o sapatinho antes da meia noite. E nem sempre há sol quando tentamos voltar para casa. Resta-nos o consolo por saber que o que sentimos de verdadeiro será para sempre. O amor, profundo, que sinto agora, eterniza-me. O que choro, o que sangra, é não estar aqui para senti-lo. Como um espectro, não poderei nunca mais me ver nos olhos dele. Nunca mais.

Lecia Freitas




          Foto de Al Mazid - https://www.facebook.com/al.mazid.96




PÁSSARO AZUL

Em meu peito
também há um pássaro azul
que teima em sair
(desconfio que eu toda seja um pássaro azul)
mas eu não o prendo
e quando ele sai
o mundo inteiro fica sabendo
é quando eu fico toda azul
e também outras cores.

Há tanta cor nesse pássaro
que eu tento mostrar ao mundo
mas ninguém quer um pássaro azul
seja no peito ou na vida.
o mundo prefere vê-los em gaiolas
ou sem cores.

o pássaro azul
que trago livre dentro de mim
quando sai me leva o riso
num escambo absurdo
e se vai às gargalhadas
enquanto me deixa
descolorida.

Lécia Freitas



segunda-feira, 10 de julho de 2017

AS PEQUENAS CORRUPÇÕES DE TODOS NÓS



            A corrupção é um grande mal e pode-se dizer que está presente em toda sociedade, fazendo parte da vida de todos nós. São perceptíveis os prejuízos que acarreta, sejam políticos, sociais ou econômicos. Atualmente, as constantes notícias sobre a corrupção nas grandes instituições públicas, envolvendo políticos e empresários poderosos, têm levado a população a refletir sobre o assunto e a identificar os diversos tipos de corrupção existentes no dia a dia e suas consequências. Acredita-se, no entanto, que não existe uma medida para corrupção. Quando o indivíduo oferece algo a um funcionário público, no sentido de obter um favorecimento em benefício próprio, configura-se a corrupção. Acredita-se ainda, que atos como os praticados no Governo, nas três esferas: federal, estadual e municipal, em que qualquer objeto, ou  milhões do dinheiro público, ou mesmo centavos, são desviados, não é corrupção: é roubo! E deveria ter, e ser punido, com esta conotação.
            Comumente as pessoas classificam atos como subornar o guarda de trânsito, oferecer um agrado ao funcionário, “colar” nas provas,  de pequenas corrupções devido, provavelmente, ao pequeno valor da moeda de troca, necessária neste tipo de transação, acreditando que não está prejudicando ninguém.  No entanto, esta ideia é falsa e errada!
            Esses comportamentos não deslegitimam a  luta contra a corrupção e não são a origem dos roubos aos cofres públicos, mas também passam por cima do  interesse público e mostram que o problema vai muito além da esfera política . Esses pequenos atos, aparentemente inocentes, e que dão ao  indivíduo uma falsa impressão de inteligência e esperteza, prejudicam o mais próximo como furar filas, mas, no caso do guarda de trânsito e a “cola” no momento da prova, por exemplos,  geram  um efeito que vai , com certeza causar danos muito maiores. O brasileiro acredita que a sua burla ao sistema ou mesmo a grandes empresas, não representa nenhum dado, e que, portanto, não terá consequências  nem prejuízos, e que, por conseguinte, não o afetará nem a ninguém. O que o cidadão comum, na sua ideia de “levar vantagem”, de “dar um jeitinho”, não sabe, não percebe, é que faz parte de uma engrenagem, e que todos os acontecimentos, em todos os aspectos da vida, pública ou mesmo privada, estão ligados e as consequências são equivalentes.
            É preciso, portanto, uma reflexão sobre o assunto e que se pratiquem bons hábitos. Além do dano explícito, práticas como a do “jeitinho” e da “vantagem”,  enfraquecem os princípios éticos, degradam o sentido do público, e dão um exemplo negativo aos mais jovens. A eles deve ser ensinado que, quando de interesse público, normas devem ser obedecidas e preservadas, que deveres devem ser respeitados, que certos comportamentos como os citados demonstram fraqueza de caráter. Sendo, também, uma questão educacional, a orientação e o bom exemplo dos adultos são fundamentais para o extermínio dessa prática tão danosa para a sociedade.


Lécia Freitas

O BRASIL NA LUTA CONTRA A FOME


          

            Observando o mapa apresentado para aporte na figura 1, pode-se  acreditar que o Brasil é um país capaz de ajudar o mundo a combater a fome devido ao território extenso e à grande área de terra cultivável.  Além disso, o país possui recursos hídricos suficientes, que podem ser utilizadas para irrigação,  possibilitando   diversidade de culturas e uma produção de grãos que excede o necessário para o consumo dos brasileiros. De acordo com programa de conhecida rede de televisão, voltado para esse assunto, em áreas impossibilitadas de serem aproveitadas, até então, devido à seca prolongada, hoje com a irrigação está sendo possível a produção de  uma grande variedade de frutas e legumes, gerando renda e qualidade de vida para os moradores dessas regiões mais afastadas dos grandes centros produtores de alimentos e  com uma  agricultura extensiva.
            O emaranhado de fatores em que consiste as políticas públicas, econômica e social do país, impede ou dificulta  a oferta de alimentos  de forma igualitária a todo os brasileiros. Nos últimos anos, o Governo Federal, com o programa Fome Zero, Bolsa-Família e outros, tem tentado amenizar essa situação, sendo que segundos dados noticiados pela mídia, os índices da fome e da miséria têm diminuído. Com isso, há uma melhora significativa da saúde e da educação, da população mais carente, uma vez que os fatores estão interligados.
            Toda essa conjuntura chamou a atenção de outros países que vê no Brasil um modelo a ser seguido na luta contra a erradicação da fome. No entanto, isso foi possível devido às ações do Governo  a  sua determinação em acabar com a miséria no país. Em suas palestras proferidas em diversos países, o ex- Presidente Lula tem falado sobre seu projeto empregado no Brasil, durante o seu governo, e agora, no governo atual da Presidenta Dilma, com o objetivo de erradicar a fome e a miséria. São visíveis as transformações ocorridas na população mais carente do país. O Brasil sempre teve um potencial capaz de obter uma grande produção de alimentos, porém  era mal gerenciado devido às ações políticas dos governos  anteriores. Acredita-se que muito mais ainda pode ser feito, uma vez que o país possui condições e tem um povo empreendedor. Em notícias veiculadas pela mídia é possível perceber que os grandes produtores têm investido em técnicas e aprimoramentos para uma produção cada vez maior de alimentos. É preciso, portanto, investimentos e administração  adequada.
            Infelizmente, as condições climáticas dos últimos anos têm se alterado, trazendo longos períodos de estiagem, ou  chuvas excessivas em outras áreas, o que tem prejudicado bastante a produção de alimentos em todo o país. É comum notícias de que  plantações inteiras foram perdidas por um desses fatores.
            Em razão disso, é fundamental que as políticas ambientais tomem medidas, no sentido de preservar o meio ambiente, principalmente as nascentes e os cursos d’água, além da recuperação de áreas degradadas, e esgotadas pelo uso inadequado de práticas de cultivo, investindo em  técnicas mais apropriadas para cada caso, visando amenizar os efeitos naturais do clima e tentando soluções para a questão ambiental e suas consequências. Torna-se importante investir na educação das novas gerações sobre o trato com a terra e o meio ambiente, criando condições e incentivos para fixar o homem no campo, e assim garantir uma produção de alimentos e qualidade de vida não só aos brasileiros mas também a outros povos.
           
Lécia Freitas